16 de dezembro de 2010

TRÊS QUADRAS DE NATAL...POETA LEIRIENSE

O NATAL É NA VERDADE
O EXEMPLO QUE NOS FICA,
DO AMOR E DA HUMILDADE
QUE TÃO POUCO SE PRATICA.



AMA O PRÓXIMO E VERÁS
QUE OS TEUS DIAS, DESDE ENTÃO
SÃO NATAIS DE AMOR E PAZ
DENTRO DO TEU CORAÇÃO.



TODO O BEM É UM NATAL
QUER SEJA UM GESTO, UMA FLOR
MAS O BEM DE NADA VALE
SEM HUMILDADE E AMOR.


"GENTIL"1978

O MEU POSTAL DE BOAS FESTAS


É com este postal de Boas Festas, feito com os meus trabalhos, na Academia, que desejo a todos os colegas do Projecto Teclar e nossa querida amiga Joana, e sempre professora... um SANTO NATAL e um Feliz Ano Novo.
Um grande beijinho da amiga e colega
Maria da Cruz

14 de dezembro de 2010

Natal ----Poema de Miguel Torga


NATAL

UM anjo imaginado,
Um anjo dialéctico,actual,
Ergueu a mão e disse:- É noite de Natal,
Paz à imaginação!
E todo o ritual
Que antecede o milagre habitual
Perdeu a exaltação.

Em vez de excelsos hinos de confiança
No mistério divino,
E de mirra e de incenso e oiro
Derramados
No presépio vazio,
Duas perguntas brancas, regeladas
Como a neve que cai,
E breves como o vento
Que entra por uma fresta, quezilento,
Redemoinha e sai:

À volta da lareira
Quantas almas se aquecem
Fraternalmente?
Quantas desejam que o Menino venha
Ouvir humanamente
O lancinante crepitar da lenha?

Miguel Torga

13 de dezembro de 2010

FELIZ NATAL PARA OS COLEGAS DO TECLAR

video

12 de dezembro de 2010

BRINDE À AMIZADE

BRINDE À AMIZADE

Este, foi um ano gratificante para mim. Especialmente, por poder contar com a vossa amizade. Assim, desejo que neste Natal, sintam muita alegria e que sejam felizes a cada instante! Que todos as vossos sonhos e desejos, se realizem... Que seja uma noite de paz, repleta de surpresas boas, de acontecimentos que ficarão marcados no vosso coração, porque o tempo passa, e é com o passar do tempo que conseguimos definir o que é realmente importante na vida.

Boas festas, com muito ânimo e muita alegria numa noite cheia de paz, em comunhão, com as pessoas que estão sempre ao vosso lado!

Estes são os desejos, de alguém, que faz parte deste mundo de amizades!

Um feliz Natal deseja-vos a Lena, com um brinde à amizade!



( Texto retirado da NET, que vos ofereço com um grande beijinho)

10 de dezembro de 2010

TRADIÇÃO DO MADEIRO DO NATAL

Em muitas aldeias do norte de Portugal, uma boa parte da noite da Consoada se passa à volta de um tronco grosso de pinheiro ou castanheiro, de sobreiro ou azinheira ardendo em brasa.
Há aldeias onde o tronco começa a arder na véspera do dia de Natal e só acaba de arder no Dia de Reis!
É Inverno e o calorzinho bom do fogo aquece as pessoas e dá-lhes uma alegria especial: as conversas e as risadas fazem com que todos se sintam mais irmãos, mais amigos uns dos outros. E essa é a intenção desta festa tradicional.
É realmente uma verdadeira festa. Os rapazes e as raparigas enfeitam os carros de bois, ou (mais recentemente) os tractores com grandes fitas de muitas cores, e lá vão à procura dos troncos mais próprios para a fogueira. No meio da maior algazarra, transportam os troncos até ao adro da Igreja e pegam-lhes fogo. Quando as pessoas saem da Missa do Galo, reúnem-se à volta desta grande lareira ao ar livre, e é um nunca mais acabar de histórias e cantigas, pela noite fora.
Todos os anos se acendem os madeiros e se acende a alegria do tempo do Natal.

" O LIVRO DO NATAL" de Maria Alberta Menéres
Imagem copiada da net

8 de dezembro de 2010

O MEU PRESÉPIO

Acabei de fazer o meu Presépio há poucos minutos e quero partilhá-lo com a Joana e todos os colegas do Projecto Teclar.
Um beijinho para todos...

5 de dezembro de 2010

Soneto de MARIA VELEDA

SPLEEN

Há muito que não vivo! Atroz verdade!
Há muito que a minha alma soluçante
Anda longe de mim, perdida, errante,
Num infinito mar de tempestade!

Nem lágrimas já tenho, nem saudade
Do meu sonho de Amor já tão distante...
Não passo dum cadáver ambulante,
Um joguete na mão da Eternidade.

Tudo em mim são ruínas e é tristura,
- Vivo de não viver - sem fim, sem norte,
E só tenho uma esp'rança: a sepultura.

Ao céu mudo ergo os braços - mas em vão!
Deus não existe; só existe a Morte,
Que eu sinto a devorar-me o coração

MARIA VELEDA (1871/1955)

PROFESSORA, FEMINISTA, REPUBLICANA, LIVRE PENSADORA E ESPIRITUALISTA.

Pesquisando na net, descobri hoje mais um pouco da personalidade da senhora Maria Veleda.
É uma figura pouco conhecida e que merece ser mais divulgada.

"(...) eu amo as crianças.
Amo-as porque são fracas, porque são desprotegidas...
e também porque o Futuro lhes pertence, porque de cada uma há-de jorrar a luz que ilumina a treva d'esta sociedade injusta e gangrenosa".

Texto e imagem da Internet

Encontro Comenius EDUCULT - Viena de Austria- Novembro de 2010




Para os amigos mais crescidos que nos continuam a acompanhar fica o link para verem, se assim o quiserem, as imagens do último encontro do Projecto EDUCULT que ocorreu em Viena de Austria e assim recordarem algumas caras conhecidas.:))
Se não nos ouvermos antes, FELIZ NATAL!. :))

Um grande beijinho para todos. Dos mais pequenitos (agora já grandes...) também! Com saudades.
São Coelho

3 de dezembro de 2010

SEM PALAVRAS!!!




Como a comunicação social tem noticiado, o norte do País está coberto de um "MANTO BRANCO" uma verdadeira OBRA DE ARTE da Mãe Natureza.
A minha cidade da Guarda também foi "brindada" com um cenário encantador, maravilhoso... que delicia... quem vir este vídeo, que eu ofereço a todos os amigos do Teclar...
De certeza que vão adorar... assim como eu adorei...
Bom fim de semana para todos.
Recados para Orkut
Recados para orkut

1 de dezembro de 2010

Poema de Maria Veleda



Penso que hei-de morrer, ai... brevemente
Pois da velhice pesam-me os invernos;
Que hei-de ascender aos gozos sempiternos,
Aos pés de Deus, magnânimo e clemente.

Em plena luz vivendo alegremente,
Do mundo esquecerei negros infernos,
Meus cânticos soltando, ledos, ternos,
Num poema de Amor, efervescente.

Mas quem há-de amparar-vos, ó meus filhos??
Seguir-vos na aspereza destes trilhos??
Incutir-vos coragem p’ra viver??

Tendes outros afectos... sei-o bem!
Mas não tendes, não tendes outra Mãe...
- Então choro... com pena de morrer!...

Maria Veleda, 1931




Maria Veleda, bisavó da minha Amiga e Colega, Maria José Franca Miranda, foi uma grande lutadora pela Implantação da República e defensora dos Direitos e Independência das Mulheres.
Mas, para além destes notáveis predicados, foi uma POETISA maravilhosa.
Com um grande abraço de felicitações para a Zé transcrevo, com sua autorização, este poema da sua Bisavó.

Parabéns Amiga.
Beijinho da Lena

Chegou o mês de NATAL....





PROFESSORA JOANA e COLEGAS AMIGOS:

Chegou o mês de Natal!

Desejo a todos muita SAÚDE, muita PAZ e muita ALEGRIA para poderem preparar e viver UM SANTO NATAL no seio das VOSSAS FAMÍLIAS.

Beijinhos da colega amiga

maria helena serrador